domingo, 27 de fevereiro de 2011

Otimismo, auto-estima?

Não sei se alguém compartilha comigo essa opinião, mas as pessoas ultimamente têm sido tomadas por um certo exagero de otimismo e fé, não? Todos os dias, vemos na TV pessoas de todos os tipos superando dificuldades das mais diversas, sobrevivendo a tragédias das mais arrasadoras e dizendo que têm fé e que sabem que vão conseguir superar... todos os dias ouvimos pessoas dizerem que não se sujeitarão mais a esta ou àquela situação porque não merecem, são muito dignas para sofrerem tal coisa... todos os dias, mulheres e homens cujos relacionamentos faliram são levados a acreditar que certamente arrumaram uma companhia melhor porque aquela que se foi não era merecedora do seu amor...
Por quantas vezes ouvimos "eu sou mais eu", "se eu não me valorizar, quem vai?", "eu me amo", "primeiro eu, segundo eu, terceiro eu, depois os outros"... será egoísmo? Será o bom trabalho das receitas e manuais de auto-ajuda? Será influência religiosa? Será culpa da TV?
Não sei... confesso que isso tem me incomodado, mas não sei o que pensar...
Será que esse é o caminho da felicidade?

3 comentários:

  1. Errata: Linha 10, leia-se "arrumarão" em vez de "arruamaram". Perdoem-me o deslize, mas isso que dá querer postar direto aqui...

    ResponderExcluir
  2. Prefiro pensar nas coisas de uma forma mais realista, tendendo, muitas vezes, a uma visão mais pessimista. Acho que tem a ver com a minha mediocridade, minha concepção sobre minhas capacidades. Pensar dessa forma não leva ao caminho da felicidade, mas também não o desapontamento com certas expectativas.

    ResponderExcluir

"Não, meu coração não é maior que o mundo, é muito menor. Nele não cabem nem as minhas dores, por isso gosto tanto de me contar!" (CDA)